Acessório faz dreads em cabelos crespos sem trabalheira e conquista público de 8 a 80 anos

Acessório faz dreads em cabelos crespos sem trabalheira e conquista público de 8 a 80 anos

Somente um salão vende mil unidades da esponjinha por mês

RIO — A cake designer Isabele Cabral demorou seis meses para decidir como cortaria o cabelo. No fim, escolheu trocar o megahair pelor nudread, corte curtinho com falsas tranças (ou dreads, em inglês). A transição teve auxílio da tesoura, mas o que definiu mesmo o novo visual foi um acessório inusitado, que tem feito a cabeça de milhares de pessoas: a esponja. Disponível em diferentes formatos e marcas, ela virou febre entre quem tem cabelos crespos. Funciona assim: basta passar o produto, que tem um lado com furos e outro pontudo, para, com o atrito, transformar os cachos em trancinhas.

Vendido por R$ 25 a R$ 30, o produto faz sucesso em lojas e já foi parar nas banquinhas de camelôs, que oferecem versões de bolso e com furos menores, ideais para cabelos mais curtos. Em Madureira, um único salão comercializa cerca de mil unidades todos os meses.

— Nunca vendi tantas esponjas como agora — diz Paulo Roberto Silva, dono de um salão em frente ao Parque de Madureira, e dono da Esponja Magic, que fabrica 300 esponjas por semana.

Acessório muda os cabelos e é tendência em salões de Madureira - Reportagem e imagens Saulo Pereira Guimarães

Patente requerida

O sucesso é tanto que Paulo já pediu o registro da patente do produto e negocia com uma rede de salões de beleza especializada em cabelos cacheados o fornecimento das esponjinhas.

— Essa moda ganhou ainda mais força depois do filme Pantera Negra, onde o ator principal e quase todo elenco tinham o penteado nudread — comenta Deiverson Crespo de Carvalho, o Deivão, dono de uma barbearia na Pavuna que recebe cerca de dez clientes interessados no look todas as semanas.

LEIA MAIS: Histórias de meninas do Rio viram hit nas redes ao cantar dificuldades enfrentadas em comunidades carentes

Quem adota o penteado não quer largar. E acaba ajudando a propagar a moda, como Isabele:

— O principal diferencial que eu percebi foi na textura. Meu cabelo ficou mais bonito e prático de cuidar. Acordar e só ter que passar a esponjinha é sensacional — diz a cake designer, que agora tenta convencer a mãe a adotar a novidade.

Paulo Roberto Silva desenvolveu o produtoe usa em clientes no salão que possui em frente ao Parque Madureira Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
Paulo Roberto Silva desenvolveu o produtoe usa em clientes no salão que possui em frente ao Parque Madureira Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + nove =